Powered by free wordpress themes

Powered by share market tutorial

quarta-feira , 18 maio 2022
Home / Últimas Notícias / Polícia prende criminoso que estava em lista dos mais procurados do país

Powered by free wordpress themes

Polícia prende criminoso que estava em lista dos mais procurados do país

Um dos integrantes da quadrilha responsável pelo mega-assalto a uma empresa de valores de Araçatuba (SP), em outubro de 2017, foi preso na manhã desta sexta-feira (11), por policiais do Departamento Estadual de Investigações Criminais, em Votorantim (SP).

Cleber Andrade de Oliveira, de 43 anos, é um dos oito condenados por latrocínio, tentativa de latrocínio, explosão e incêndio. As penas de todos somadas chegam a mais de 600 anos de prisão. Ele estava foragido desde 2017 e era considerado procurado da Justiça.

Na época, os criminosos, armados com um arsenal de guerra, interditaram a Rodovia Marechal Rondon, explodiram o prédio da empresa e roubaram R$ 8 milhões. Um policial civil morreu durante a ação.

Segundo o Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), Cléber estava em uma marina, que fica no bairro do Poço, em Votorantim. Ele não reagiu à prisão. Foram apreendidos um veículo e um jet-ski.

Os policiais também fizeram buscas na casa dele, no Jardim Esplanada, em Indaiatuba (SP). Segundo o delegado Fábio Sandrin, o acusado também participou de uma assalto em Criciúma (SC), em dezembro de 2020.

Condenação

De acordo com a decisão da Justiça, de maio de 2021, as sentenças de três dos oito envolvidos foram de 82 anos de prisão pela participação do mega-assalto.

Outros dois receberam sentenças de 70 anos de reclusão, e outro homem foi condenado a 69 anos. Além disso, foram condenados a 58 anos de prisão outros dois envolvidos no crime. Conforme a decisão, duas pessoas foram absolvidas por falta de provas.

Em setembro de 2020, a Justiça já tinha sentenciado três pessoas por envolvimento no caso. Uma delas pegou 82 anos de prisão. Já os outros dois réus ainda serão julgados. Mais dois integrantes da quadrilha permanecem foragidos.

Crime

Empresa de valores de Araçatuba ficou destruída — Foto: Reprodução/TV TEM

O assalto aconteceu na madrugada do dia 16 de outubro de 2017. Cerca de 30 criminosos incendiaram veículos para bloquear a saída de viaturas do quartel da Polícia Militar, que fica perto do local do roubo.

Os suspeitos também atiraram contra a entrada do quartel para impedir a saída dos policiais, e houve troca de tiros. Na sequência, outro grupo foi até a empresa de valores e usou dinamite para explodir o prédio.

policial civil André Luís Ferro da Silva, do Grupo de Operações Especiais (GOE), estava de folga no dia, mas foi baleado durante a ação e morreu. Além do policial, duas mulheres ficaram feridas ao serem atingidas por estilhaços de balas.

infográfico de mega-assalto a empresa de valores em Araçatuba — Foto: G1/Arte

Os criminosos também usaram um caminhão canavieiro para bloquear a pista da Rodovia Marechal Rondon, no sentido Birigui (SP) a Araçatuba. O grupo rendeu o motorista e deixou o veículo atravessado na pista. Depois o incendiou, impedindo a chegada da polícia.

O Ministério Público denunciou, em 27 de agosto de 2018, um total de 18 pessoas, sendo 15 por latrocínio consumado, latrocínios tentados, incêndio e explosão. Outros três, além desses crimes, por associação criminosa.

Fonte: G1

Sobre Gazeta

Além disso, verifique

Motorista acusado de atropelar 17 pessoas na frente de bar é condenado a 10 anos de prisão

O mecânico Paulo Alves da Silva, acusado de usar uma caminhonete para atropelar 17 pessoas que …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

um + 2 =