Powered by free wordpress themes

Powered by share market tutorial

quarta-feira , 18 maio 2022
Home / Últimas Notícias / Preso por atirar cinco vezes na cabeça de vizinha diz que cometeu crime após ser chamado de ‘cafetão’

Powered by free wordpress themes

Preso por atirar cinco vezes na cabeça de vizinha diz que cometeu crime após ser chamado de ‘cafetão’

O calçadista de 27 anos, preso por atirar cinco vezes na cabeça de uma vizinha em Birigui (SP), afirmou à Polícia Civil que cometeu o crime após ser chamado de “cafetão” e acusado de vender a mulher para o marido da vítima, segundo consta no boletim de ocorrência.

O caso foi registrado na noite de quarta-feira (17), no bairro Cidade Jardim. A mulher foi socorrida consciente, levada ao Pronto-socorro com quatro projéteis alojados cabeça e denunciou vizinho.

G1 enviou uma solicitação de informação à assessoria da Santa Casa de Araçatuba (SP) para saber o estado de saúde da mulher. Porém, o hospital respondeu que não divulga informações de pacientes que sofreram tentativas de homicídio.

De acordo com o boletim de ocorrência, policiais militares foram acionados e se deslocaram até a Rua das Acácias, onde encontraram a mulher deitada, com ferimentos na cabeça e aguardando a chegada do resgate.

Consciente, a vítima relatou aos policiais na casa dela, conversando com duas pessoas, quando um vizinho se aproximou e efetuou diversos disparos de arma de fogo.

A mulher foi socorrida e encaminhada para o Pronto-Socorro de Birigui. Profissionais de saúde fizeram exames e constaram cinco perfurações na cabeça da vítima.

Enquanto a mulher era atendida, o vizinho suspeito de realizar os disparos chegou ao local da ocorrência. Ele negou o crime e alegou que estava fazendo compras em um supermercado, quando recebeu uma ligação de familiares informando sobre a tentativa de homicídio.

Porém, após ser levado à delegacia, o homem acabou confessando que atirou na cabeça da vizinha e jogou a arma no Córrego do Baixote, recebendo voz de prisão em flagrante.

O delegado responsável por investigar o caso compareceu ao Pronto-Socorro, onde recebeu a informação de que a vítima estava com quatro projéteis alojados no crânio.

A médica permitiu que o delegado falasse com a vítima. Ela confirmou a versão apresentava anteriormente e afirmou que o vizinho fez diversos disparos de arma de fogo, principalmente quando ela estava caída.

De acordo com o delegado que investiga o caso, a mulher está viva e só sobreviveu porque as munições eram “velhas”. Ou seja, não causaram consequências mais graves.

Fonte: G1

Sobre Gazeta

Além disso, verifique

Motorista acusado de atropelar 17 pessoas na frente de bar é condenado a 10 anos de prisão

O mecânico Paulo Alves da Silva, acusado de usar uma caminhonete para atropelar 17 pessoas que …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dezessete − três =