Powered by free wordpress themes

Powered by share market tutorial

quarta-feira , 23 setembro 2020
Home / Destaque / SanSaúde explica: por que ir ao médico coloproctologista

Powered by free wordpress themes

SanSaúde explica: por que ir ao médico coloproctologista

Você já ouviu falar sobre o médico coloproctologista? Pensando em sanar todas as dúvidas, o SanSaúde conversou com o Dr. João Antônio Feriani Nunes, que deu mais detalhes sobre a especialidade clínica e cirúrgica, que tem como base o estudo das patologias que acometem o intestino grosso, reto e ânus.

Quais as doenças mais comuns entre homens e mulheres?

As patologias mais comuns no dia a dia são: dores abdominais, hemorragia digestiva baixa, doenças inflamatórias intestinais e orificiais (hemorroidas, fissura e fístulas), cisto pilonidal, diarreia, constipação intestinal, doenças sexualmente transmissíveis, síndrome do intestino irritável e neoplasias do cólon, reto e ânus.

Quando devo procurar um médico?

Quadros de dor abdominal, sangramento nas fezes, mudança do hábito intestinal, dor anal, lesões anais e perianais, emagrecimento não intencional, histórico familiar de câncer colorretal fazem parte da rotina do médico coloproctologista.

Lembrando que o câncer é o segundo tipo de tumor mais comum na nossa população, seguindo o de próstata em homens e mama em mulheres. Se você tem mais de 50 anos, é interessante procurar o coloproctologista para rastreio preventivo dessa patologia.

Qual a diferença entre médico coloproctologista e urologista?

Muitos pacientes confundem as especialidades e pensam que o coloproctologista é médico da próstata. Mas é o urologista que cuida do aparelho genitourinário, ficando a próstata para essa especialidade apesar de sua relação anatômica com o reto.

Constipação intestinal

 Por que devemos buscar ajuda médica? Quais os sintomas? Qual o tratamento?

A constipação intestinal é um distúrbio muito comum no nosso meio. Mais prevalente em mulheres (duas a três vezes em relação ao sexo masculino), pode estar associada a múltiplos fatores como: estilo de vida, hábitos alimentares, uso de medicações, distúrbios endócrinos e metabólicos, doenças neurológicas, psicológicas, neoplasia e entre outros.

Se você apresenta esforço evacuatório, fezes endurecidas, sensação de evacuação incompleta em mais de 25 % delas, duas evacuações ou menos por semana, procure um coloproctologista para uma melhor avaliação e tratamento. Tratamento o qual deve ser individualizado, utilizando apenas medicações ou mudança no estilo de vida, podendo ser necessária também intervenção cirúrgica.

 

Fonte: Santa Casa de Votuporanga

Sobre Gazeta Votuporanga

Além disso, verifique

Trucida Motoclube destina cadeira de rodas para Santa Casa

Você já deve ter visto o grupo por aí. Trucida Motoclube é composto por 30 …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

sete + 14 =