Powered by free wordpress themes

Powered by share market tutorial

sexta-feira , 21 agosto 2020
Home / Últimas Notícias / Pai de menina que morreu com picada de escorpião diz que bairro é infestado: ‘Falta conscientização’

Powered by free wordpress themes

Pai de menina que morreu com picada de escorpião diz que bairro é infestado: ‘Falta conscientização’

O pai da menina de 11 anos que morreu depois de ser picada por um escorpião informou ao G1 que não é a primeira vez que a família encontra animais peçonhentos no bairro São João em Lins (SP) e que falta conscientização por parte dos moradores.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, só neste ano Lins registrou 45 acidentes com escorpião, sendo um óbito.

O operador de máquinas Augusto Sérgio dos Santos Brito teve sua vida transformada depois que a filha, Ketlyn de Aguiar Brito, não resistiu ao veneno de um escorpião na madrugada da última terça-feira (18).

Segundo ele, a menina estava no quarto dela, na madrugada de domingo (16), quando acordou assustada com um pesadelo e pediu para dormir no quarto da mãe. Ao voltar ao cômodo para buscar um cobertor, foi picada pelo escorpião que estava escondido embaixo dele.

“Na hora ela ligou para meu sogro e correram levar pro hospital. Quando chegou na Santa Casa, já fizeram os procedimentos certinhos, mas ela reclamou de muita dor na perna e na barriga, aí transferiram para Bauru”, lembra o pai.

Segundo Augusto, Ketlyn chegou na unidade com falta de ar e teve que ser entubada na UTI pediátrica do Hospital Estadual de Bauru. Lá, o médico alertou a família que a menina tinha poucas chances de sobreviver e que ficaria com sequelas se saísse da UTI, onde teve uma parada cardíaca e morreu na madrugada de terça-feira (18).

“Foi tudo muito rápido, coisa de 10 minutos até meu sogro tirar o carro daqui e levar ela pro hospital. A gente também sempre mostrou pra ela os perigos de escorpião, então ela já sabia o perigo e se apavorou”, lamenta Augusto.

A família da Ketlyn contou que está bastante abalada com a morte da menina, que deixou a mãe, o pai e um irmãozinho de 2 anos.

Ela foi vítima de um escorpião amarelo (T. serrulatus) que, segundo a Secretaria de Saúde de Lins, é uma espécie com maior potencial de gravidade do envenenamento e que se adapta facilmente ao meio urbano.

“Não é fácil porque tudo lembra ela, era a diversão da casa, ela e o irmão. Então tudo o que você olha ao redor lembra ela”, admite o pai.

 

Bairro infestado

Augusto informou ao G1 que já tinha encontrado um escorpião no quarto da filha outro dia, mas que não tinha picado ninguém. Segundo ele, um vizinho também já encontrou 15 escorpiões no quintal de casa.

O operador de máquinas contou que há bastante entulho no local, assim como lixo e restos de madeira. Ele relatou que parentes que moram nas proximidades também já foram picados pelo animal.

“O pessoal aqui não é muito conscientizado, e precisa porque não é fácil. É importante manter os quintais limpos. Deus ajude que isso tenha tocado na mente deles”, deseja Augusto.

A Secretaria de Saúde de Lins, através da Divisão de Vigilância Epidemiológica, lamentou a morte da menina. A pasta informou que ela foi imediatamente socorrida para a Santa Casa, onde recebeu os primeiros atendimentos, inclusive com soro antiescorpiônico.

Segundo a prefeitura, a Santa Casa é referência para os municípios de Lins e região como ponto estratégico para aplicação de soro no caso de acidentes com animais peçonhentos.

A prefeitura também informou que faz um acompanhamento constante no bairro São João, com mutirões de limpeza e orientação dos moradores. Nesta quinta-feira (20), segundo a assessoria, está agendada uma visita ao bairro para mais uma ação da prefeitura, que emitiu uma nota com orientações para cuidados com escorpiões.

Cuidados com escorpiões

  • Manter limpos quintais, jardins, sótãos, garagens e depósitos, evitando acúmulo de folhas secas, lixo e demais materiais como entulho, telhas, tijolos, madeiras e lenha;
  • Ao manusear materiais de construção, usar luvas de raspa de couro e calçados, pois nestes materiais podem estar abrigados escorpiões;
  • Rebocar paredes e muros para que não apresentem vãos e frestas;
  • Vedar soleiras de portas com rolos de areia;
  • Usar telas em ralos do chão, pias ou tanques;
  • Acondicionar o lixo em recipientes fechados para evitar baratas e outros insetos, que servem de alimento à escorpiões;
  • Realizar roçagem de terrenos;
  • Manter berços e camas afastados das paredes;
  • Examinar calçados, roupas e toalhas antes de usá-los.

Fonte: G1

Sobre Gazeta Votuporanga

Além disso, verifique

Preço de medicamentos hospitalares sobe 16% na pandemia

O preço dos medicamentos vendidos aos hospitais do país subiu 16,4% durante os cinco primeiros …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × quatro =