Powered by free wordpress themes

Powered by share market tutorial

sexta-feira , 29 março 2019
Home / Destaque / Suspeitos são presos durante operação contra pornografia infantil

Powered by free wordpress themes

Suspeitos são presos durante operação contra pornografia infantil

Um homem foi preso na manhã desta quinta-feira (28) durante uma operação contra a pedofilia infantil em Araçatuba (SP). Esta é a 4ª fase da Operação Luz na Infância, que apura crimes de abuso e exploração sexual contra crianças e adolescentes praticados na internet em todo o país.

De acordo com a Polícia Civil, o homem foi preso porque foi flagrado baixando material com conotação sexual envolvendo crianças. Foram apreendidos também pen drives e a CPU de um computador.

A polícia também apreendeu uma pistola de airsoft e uma espingarda de chumbinho, além de munições de vários calibres.

Além disso, foram cumpridos mandados de busca e apreensão nas cidades de Valparaíso e Braúna (SP). Em Valparaíso houve uma prisão.

Na região de São José do Rio Preto (SP) também houve mandados de busca e apreensão. Em Mirassol, dois irmãos foram detidos no bairro Portal da Cidade Amiga.

Eles foram ouvidos e liberados, mas com eles foram apreendidos dois computadores, um tablet, três celulares e um pen drive. Todo material será periciado. Houve também uma prisão em Novo Horizonte (SP).

Já em Estrela d´Oeste, um mecânico de 40 anos foi preso por armazenar imagens pornográficas com crianças na casa dele, em um conjunto habitacional do município. O suspeito foi levado para a delegacia e presta esclarecimentos.

Em todo o país

O Ministério da Justiça e as polícias civis dos estados deflagraram nesta quinta-feira (28) a 4ª fase da Operação Luz na Infância, que apura crimes de abuso e exploração sexual contra crianças e adolescentes praticados na internet.

São investigados crimes de armazenamento, compartilhamento e produção de pornografia infantil. Até 8h45, 62 pessoas haviam sido presas em todo o país.

Policiais civis saíram às ruas para cumprir 266 mandados de busca e apreensão nos 26 estados e no Distrito Federal. Apesar de não haver mandados de prisão, estão sendo presos em flagrante os suspeitos de armazenamento e compartilhamento de material encontrados nas casas onde há buscas.

As penas para os crimes investigados variam entre 1 e 8 anos de prisão. Quem armazena material de pornografia infantil tem pena de 1 a 4 anos de prisão. Para quem compartilha, a pena é de 3 a 6 anos de prisão. A punição aumenta para 4 a 8 anos de prisão para quem produz esse tipo de material.

Sobre Gazeta Votuporanga

Além disso, verifique

Prefeitura de Valentim Gentil entrega kit de livros aos alunos da rede municipal de ensino

O prefeito de Valentim Gentil, Adilson Segura, participou nesta semana da entrega de kits com …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × um =