Powered by free wordpress themes

Powered by share market tutorial

segunda-feira , 30 março 2020
Home / Destaque / Empresário e matador de aluguel vão a júri popular pelo assassinato de Thui Seba

Powered by free wordpress themes

Empresário e matador de aluguel vão a júri popular pelo assassinato de Thui Seba

Rio Preto – O empresário Cláudio Yuri Baptista, de 33 anos, réu por ter encomendado a morte do advogado e sócio José Arthur Vanzella Seba, morto aos 32 anos, vai ser julgado pelo Tribunal do Júri. Keisson Eduardo de Oliveira, de 40 anos, o boiadeiro, investigado como o matador de aluguel do advogado também vai a júri popular. José Arthur foi morto a tiros no dia 19 de julho de 2017, no loteamento Parque dos Buritis, Zona Norte de Rio Preto.

O advogado era filho de Jorge Augusto Seba, secretário de Planejamento de Votuporanga, mas morava e trabalhava em Rio Preto, onde mantinha uma empresa de seguros, em sociedade com Cláudio.

Segundo inquérito conduzido pelo delegado Wander Solgon, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), o empresário pode ter pagado R$ 50 mil para encomendar a morte do sócio. Informações obtidas por meio de quebra de sigilo bancário, mostraram que dias antes do crime, Cláudio sacou o dinheiro do valor exigido pelo matador de aluguel para cometer o crime.

Cláudio e Keisson estão presos desde 21 de agosto do ano passado, quando a Justiça concedeu pedido de prisão preventiva dos acusados. A decisão da 3ª Vara Criminal de Rio Preto de levar a dupla ao Tribunal do Júri foi publicada no Diário de Justiça Eletrônica desta segunda-feira, 17. A decisão cabe recurso.

Tentou matar a tesouradas

O cabeleireiro Reginaldo de Camargo, 36 anos, réu por tentar matar o policial militar Marcelo José Alves, 52 anos, também vai ao Tribunal do Júri. O caso é de março do ano passado, quando a Polícia Militar foi chamada em um hipermercado de Rio Preto para atender uma tentativa de homicídio. No boletim de ocorrência, a motivação do crime seria uma dívida entre Reginaldo e a mulher do policial.

O PM teria cobrado o cabeleireiro que não gostou da situação e partiu para cima com golpes de tesoura. A decisão do julgamento popular foi publicada no Diário de Justiça Eletrônica desta segunda-feira, 17, e cabe recurso. (Francela Pinheiro – Diário da Região)

Sobre Gazeta Votuporanga

Além disso, verifique

Meidão pede informações sobre medidas protetivas de funcionários da empresa Vikstar

O presidente da Câmara Municipal de Votuporanga – vereador Mehde Meidão Slaiman Kanso encaminhou um …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × um =